A marca de electrónica de consumo Media Markt, detida pelo alemão Metro, prepara-se para fechar as suas sete lojas no mercado chinês, avança o Financial Times.

De acordo com a mesma fonte, a medida deverá ser anunciada pelo grupo Metro na próxima semana. A decisão surge três anos depois de a Media Markt ter estabelecido uma joint-venture com a Foxconn – conhecida por ser uma das principais fornecedoras da Apple -, tendo na altura previsto a abertura de cerca de uma centena de lojas até 2015. O grupo Metro detém 75% do capital da joint-venture, estando os restantes 25% nas mãos da Foxconn.

Segundo o Financial Times, o CEO da Metro, Olaf Koch, pretende sair dos mercados onde o desempenho não está a ser positivo para que o grupo se possa concentrar nos mercados e negócios mais rentáveis, nomeadamente nos grandes armazéns de cash-and-carry. Há cerca de seis semanas, o grupo germânico vendeu as sua cadeia de hipermercados instalada na Europa de Leste por 1,1 mil milhões de euros, e está, neste momento, à procura de um comprador para a rede de lojas da marca Kaufhof.

Fontes ligadas ao processo, citadas pelo jornal britâncio, afirmam que, apesar de as marcas Media Markt e Saturn serem consideradas com potencial de crescimento, o grupo não poderá continuar a investir as várias centenas de milhões de euros necessárias para garantir uma presença significativa na China, sobretudo numa altura em que enfrenta uma quebra de consumo no mercado europeu.

Recomendar
  • gplus
  • pinterest

Comentar este artigo

+ 9 = dezoito