É o Turismo… sim, o Turismo!

Ricardo Florêncio

Director Editorial da Marketeer

Editorial publicado na edição de Novembro de 2016 da revista Marketeer

O Turismo tem sido nos últimos anos a verdadeira alavanca da economia em Portugal. É ao Turismo que se deve a baixa na taxa de desemprego. É ao Turismo que se deve a criação de muitos negócios, quer na economia real, quer na digital. É ao Turismo que se deve o crescimento do nosso PIB, ainda que ténue, muito ténue, pois, certamente sem o Turismo, deveria ser negativo.

Segundo os dados disponíveis, aponta-se que o Turismo deverá valer 17-18% do nosso PIB. Certo? Não, completamente errado!!!! Porque muitas actividades, que não estão classificadas como sendo do sector do Turismo, advêm claramente do Turismo. Senão, vejamos apenas alguns exemplos.

É ao Turismo que cabe uma boa fatia das vendas de automóveis. E os valores dos seguros, dos combustíveis, das portagens, das oficinas de reparação e de peças, entre muitos outros, onde estão? Qual a real importância do Turismo na restauração? E todo o ciclo de produção e distribuição que daí resulta? Produção e distribuição de alimentos, onde estão? E os impostos que toda a indústria e trabalhadores desse sector pagam? E o comércio de retalho? As compras dos turistas estão reflectidas nesta realidade? E a componente da cultura? Dos museus? Dos festivais de música? Ou até mesmo de situações ainda mais básicas, como o consumo de electricidade. Qual a valor de consumo de electricidade que provém do Turismo? E muitos mais exemplos poderiam ser utilizados para listar aqui, e que permitiriam chegar à conclusão que o Turismo talvez já esteja a representar perto de um quarto da nossa economia.

E agora a questão: se o Turismo é assim tão importante para Portugal, por que é que não lhe damos a atenção e relevância devidas? Qual a razão para não haver um Ministério do Turismo que realmente se ocupe desta área nevrálgica para Portugal e que trace estas políticas? E onde, certamente, caberão outras muitas áreas que hoje estão noutros ministérios, mas que certamente fariam todo o sentido estar na órbita do Turismo.

Recomendar
  • gplus
  • pinterest

Comentar este artigo

CAPTCHA

*

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.