Novembro de 2016

Tema de Capa

O futuro do luxo

Na sua base, o luxo sempre esteve relacionado com estatuto. Só que o estatuto era físico. Agora, é intangível. O estatuto passou a ser menos “o que tenho” e muito mais “quem sou”. As implicações para o consumo do luxo são vastas, à medida que os consumidores de produtos premium intensificam a sua procura por viverem e personificarem estes ideais. O mesmo acontece às oportunidades para as marcas que conseguem compreender, e oferecer, a nova mentalidade do luxo.

Não há dúvidas de que o sector do luxo está a lidar com algumas vicissitudes. Mas enquanto a economia global e as circunstâncias políticas devem mudar, o desafio estratégico a longo prazo para as marcas de luxo deverá ser a mudança épica para formas de consumo de luxo mais variadas, complexas, individualizadas e significativas.

E qualquer marca pode começar com estas cinco tendências que estão a reformular o futuro do luxo em 2017… e para além dele.

Editorial

Ricardo Florêncio | É o Turismo… sim, o Turismo!

Pessoas

Entrevista a Miguel Veiga Martins, CEO Nowo

B.I. Luís Fernambuco

Pequeno-almoço com Miguel Salema Garção

Casos

Sucesso: Cafés do mundo, chávena portuguesa

Causar boa impressão

Viagens com impacto

Empreendedores: App para dormir como bebé

Estratégias

A Nacional quer viajar

Lado a lado com a mudança

De volta ao online

Antecipar a revolução do automóvel sem condutor

Lidl – Rede de distribuição para a Europa

Estudos

Low cost não é para quem quer, é para quem pode!

Comunicação

Pub à Lupa por Pedro Pires

O preço chegou a um beco sem saída

Quando o vídeo tem morada online

A campanha da minha vida

Lifestyle

Natal + Martinhal Cascais Family Hotel + Na vitrine + Gadgets

Cadernos Especiais

Luxo + Turismo + Seguros + Farmacêuticas

Recomendar
  • gplus
  • pinterest

Comentar este artigo

CAPTCHA

*

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.