Minerva: as conservas que nasceram com a guerra

Surgiu há 75 anos para levar as conservas portuguesas onde estas nunca (ou raramente) tinham ido, como Japão ou Nova Zelândia. Hoje, a Minerva exporta para um total de 19 mercados e é a principal marca do portefólio d’A Poveira

Texto de Daniel Almeida

Tem o nome da deusa romana da sabedoria, das artes e da guerra, e dificilmente poderia honrá-la melhor. Porque nasceu em tempos de guerra, mas teve a sapiência e a arte mercantil de crescer com ela. Fundada em 1942, a Minerva surgiu com o intuito de levar a empresa-mãe, A Poveira, a entrar em novos mercados, como o Japão, Singapura ou Nova Zelândia, bem distintos dos tradicionais compradores de conservas portuguesas – os países europeus e os EUA.

Para ler o artigo na íntegra (que faz parte de um trabalho mais alargado) consulte a edição de Fevereiro de 2017 da revista Marketeer.

Recomendar
  • gplus
  • pinterest

Comentar este artigo

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

*