Quais são os desafios da Geração Z?

As novas gerações são o tema central da próxima edição do Braga Open Week, evento de entrada gratuita que vai decorrer entre os dias 2 e 3 de Junho. Nesta quarta edição, o objectivo é explorar os novos modelos de gestão e marketing a que os públicos mais jovens obrigam, já que são eles quem dita as tendências.

A organização está a cargo da Flag, Rumos e Galileu, entidades de formação do Grupo Rumos. À Marketeer, Gabriel Augusto, director da Flag, explica o que motivou a escolha do tema deste IV Braga Open Week e quais as áreas que deverão ser mais afectadas.

Porquê dedicar a edição deste Braga Open Week às novas gerações? Que importância tem este tema?

As novas gerações têm características muito próprias, diferentes atitudes em relação à carreira profissional, diferentes hábitos de consumo de informação e de compras. Apesar de ainda existirem empresas e marcas a tentarem adaptar-se à já conhecida geração Millennial, esta já começou a conquistar o seu espaço nas organizações e na consideração das marcas. Em 2020, prevê-se que esta nova geração, denominada de Geração Z, represente cerca de 20% da força de trabalho.

Este conjunto de pessoas está já a delinear novos hábitos, atitudes e comportamentos enquanto consumidores e trabalhadores. Eles estão a desenhar novas tendências. Eles são o novo desafio.

É por isso que acreditamos que é essencial para as empresas e marcas conhecerem e compreenderem esta nova geração, prepararem e repensarem as suas estratégias de actuação se quiserem captar a sua atenção, comunicar e criar engagement com a mesma.

Em que medida a Geração Z irá influenciar as marcas e empresas?

Uma vez que a nova geração de trabalhadores e consumidores tem características próprias, é necessário que as marcas se adaptem para conseguirem cativá-los. Ao adaptarem-se, a Geração Z já está a exercer o seu poder de influência.

Dizem os estudos que a geração Z é a mais conectada de sempre. A tecnologia é algo que lhes é tão fundamental como o ar que respiram. Partilham e procuram informação em diferentes plataformas, quando e onde querem, e por isso têm necessidade de ter respostas no imediato. As empresas têm, assim, que se preparar para receber profissionais que gostam do multitasking, mas cuja capacidade de atenção é muito curta: somente de oito segundos.

Estas são algumas características que as marcas devem ter em consideração para conseguirem alcançá-los e impactá-los com a sua comunicação: em que canais estão, que narrativas valorizam. É essencial que as marcas tenham em atenção o facto de esta geração estar cada vez mais no Instagram ou no Snapchat, em detrimento do Facebook.

Todas as áreas vão ser afectadas?

É natural que as áreas que tenham de lidar directamente com esta geração sejam as áreas que mais tenham que se adaptar. É o caso do marketing, da gestão, dos recursos humanos, e da área comercial, por exemplo.

Qual é o número previsto de participantes na Braga Open Week?

Ao longo das edições do Braga Open Week, temos registado uma crescente adesão ao evento. Prevemos, por isso, receber, nesta edição, cerca de 350 participantes: profissionais ou futuros profissionais das áreas de Marketing, Tecnologia, Recursos Humanos e Gestão, que queiram estar preparados para uma nova realidade empresarial e interessados em vingar num novo e emergente mercado de trabalho.

Texto de Filipa Almeida

Recomendar
  • gplus
  • pinterest

Comentar este artigo

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

*