McDonald’s termina ligação aos Jogos Olímpicos

Depois de uma relação de 21 anos, a McDonald's cessou a sua parceria com o Comité Olímpico Internacional (COI). Numa decisão com efeitos imediatos, a cadeia de fast-food deixa também de patrocinar o Comité Olímpico norte-americano, ao qual estava associada desde 1976.

Em comunicado, a McDonald's e o Comité Olímpico Internacional garantem que esta foi uma decisão “mutuamente acordada” e que se prende apenas com uma questão de foco estratégico da cadeia de fast-food, que quererá canalizar o seu orçamento para outras áreas.

A parceria entre a McDonald's e o COI remonta a 1996. Desde esse ano, a empresa era responsável por servir comida aos atletas olímpicos, jornalistas e outras pessoas envolvidas nos Jogos, ao mesmo tempo que realizava acções de promoção destes eventos. Na última edição, por exemplo, a McDonald's levou 100 crianças de várias nacionalidades ao Brasil para participarem na cerimónia de abertura dos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro.

«Como parte do nosso plano de crescimento global, estamos a reconsiderar todos os aspectos do nosso negócio e tomámos esta decisão em cooperação com o COI para que nos possamos focar noutro tipo de prioridades», esclarece em comunicado Silvia Lagnado, global chief Marketing officer da McDonald's.

De acordo com a AdAge, a McDonald's planeia operar, pela última vez, restaurantes nos Jogos Olímpicos de Inverno de 2018, que irão decorrer em PyeongChang, na Coreia do Sul.

O anúncio da McDonald's vem engrossar a lista de grandes patrocinadores (sobretudo norte-americanos) que abandonaram, nos últimos tempos, o seu patrocínio aos Jogos Olímpicos. É o caso de empresas como Budweiser, Citi, Hilton, TD Ameritrade e AT&T. No entanto, nem tudo são más notícias para o Comité Olímpico Internacional, que já renovou parcerias com a Bridgestone, Panasonic, Toyota (todas até 2024), Alibaba (2028) e Omega (2032).

Recomendar
  • gplus
  • pinterest

Comentar este artigo

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

*