Portugueses procuram mais alimentos saudáveis

Os consumidores portugueses estão cada vez mais dispostos a adquirir produtos que consideram benéficos para a saúde, mesmo que tenham que pagar mais por eles. Ao mesmo tempo, tendem a evitar cada vez mais produtos com excesso de açúcares, conclui a Nielsen no seu mais recente Índice de Confiança do Consumidor.

O estudo aponta a lista de alimentos e especiarias que os consumidores portugueses consideram mais saudáveis. No topo da lista estão os iogurtes (81%), o feijão (71%), a couve-de-folhas (64%), o salmão (64%) e o chá (55%). Também as sementes de chia, o gengibre e as bagas de goji parecem ter entrado definitivamente na dieta dos consumidores nacionais.

De resto, 72% dos consumidores portugueses (contra apenas 45% dos europeus) acreditam na eficácia dos chamados superalimentos na prevenção ou tratamento de doenças, e quase metade dos inquiridos admite que os superalimentos podem substituir algumas prescrições médicas. Já 73% admitem que estariam dispostos a comprar artigos que incluam este tipo de produtos.

Por outro lado, a maioria dos consumidores inquiridos pela Nielsen considera que as quantidades de açúcar existentes nas bebidas que são actualmente vendidas são demasiado elevadas. De acordo com a consultora, isto tem-se reflectido no mercado, com os refrigerantes a sofrerem “quebras de consumo nos últimos anos”, enquanto os sumos 100% de fruta, os néctares e as águas têm tido “dinamismos positivos”.

«Os consumidores portugueses estão, de facto, muito disponíveis para comprar produtos saudáveis e para pagar mais por eles quando se apercebem do seu real benefício. É importante que também a oferta acompanhe esta tendência, que é uma importante oportunidade», afirma em nota de imprensa Ana Paula Barbosa, retailer services director da Nielsen.

Recomendar
  • gplus
  • pinterest

Comentar este artigo

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

*