Basta existir?!

Ricardo Florêncio

Director Editorial Marketeer

Admito que não consigo entender aquelas empresas que pensam que não vale a pena comunicar ou publicitar as suas marcas, produtos, serviços. Estarão convencidos que apenas basta existirem para que sejam comprados, consumidos?

Talvez haja meia dúzia de casos desses no mundo, mas devem ser mesmo meia dúzia. Todos os outros que pensam assim, arrisco-me a afirmar que estão redondamente enganados. E mais tarde, ou mais cedo, vão aperceber- se desse erro.

Também não deixa de ser estranho, e mesmo paradoxal, o comportamento dos colaboradores dessas empresas, enquanto responsáveis dessas marcas e enquanto cidadãos comuns. Será que, enquanto consumidores, não se sentem impactados, influenciados, pelas diversas acções de comunicação das marcas? Então, como escolhem os produtos e serviços que consomem? Perante o leque de oferta, como decidem? Por que razão optam por uma marca/produto/serviço em detrimento de outras? E se fazem essas escolhas, e se são influenciados seja de que modo for, qual a razão para pensarem de modo completamente contrário, enquanto responsáveis das empresas?

Há marcas que não utilizam a sua marca-mãe como forma de comunicação. Publicitam as dos seus produtos e serviços, mas não da marca/ empresa. Mas isso são opções das próprias empresas e, muitas vezes, de sectores inteiros de actividade, mas nada tem a ver com o exposto em cima. Agora, não comunicarem de todo?

Editorial publicado na edição de Junho de 2017 da revista Marketeer

Recomendar
  • gplus
  • pinterest

Comentar este artigo

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

*