Imposto sobre álcool e refrigerantes com novo aumento à vista

O IABA, imposto sobre álcool e bebidas alcoólicas e que desde este ano abrange também os refrigerantes, poderá aumentar já no próximo ano. A versão preliminar do Orçamento de Estado para 2018 indica que o Governo quer aumentar em até 1,5% a taxa cobrada neste tipo de produtos.

O documento, reportado pelo Jornal de Negócios, refere que as bebidas com teor de açúcar inferior a 80 gramas por litro serão taxadas a 8,34 euros por hectolitro. As bebidas com teor de açúcar igual ou superior a 80 gramas por litro serão taxadas a 16,69 euros por hectolitro.

Está ainda em cima da mesa uma forma de tributar de maneira diferente as bebidas concentradas, tendo em conta se se tratam de produtos líquidos ou sólidos.

A Sábado avança ainda que também existirão aumentos para as bebidas alcoólicas, a par dos já indicados para os refrigerantes e bebidas com açúcar. A mesma versão do Orçamento de Estado para 2018 aponta para um imposto que começa nos 8,34 euros por hectolitro para cervejas com volumes de álcool mais baixos. As opções com volumes mais elevados poderão ser taxadas em até 29,30 euros por hectolitro. Neste caso, também o aumento do IABA será de 1,5%.

Para as bebidas espirituosas, vinhos licorosos e espumantes, por seu turno, a taxa de imposto deverá sofrer uma subida de 1,4%, de acordo com a mesma publicação. Para o vinho não existem previsões de aumentos.

Apesar de garantir não vender refrigerantes, a SodaStream é uma das marcas afectadas pelo IABA através dos sabores que disponibiliza para aromatizar a água com gás que ajuda a produzir. À Marketeer, a SodaStream explica por que razão contesta o imposto.

Recomendar
  • gplus
  • pinterest

Comentar este artigo

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

*