Recuperar energias no Float in

Nem sempre percebemos por que é que tanto nos apetece atirar para o sofá e ficar em estado quase vegetal. Nesta altura do ano, pior ainda. ´

Texto de Mª João Vieira Pinto

Toda a vitamina acumulada por horas de sol já foi gasta até ao tutano. E num horário em que se acorda de noite e em que as cinco da tarde parecem hora de jantar, o cansaço parece que se instala. O final de sexta-feira é sempre um misto de chegada ao fim-de-semana e vontade de não fazer nada.

Foi precisamente assim que entrei no Float in Spa de Belém. Com vontade de me estender ao comprido e fechar os olhos. E se vontade tive, os desejos foram mais que cumpridos.

Optei por um Programa Spa à La Carte que inclui uma sessão de flutuação ou, se se preferir, um minifacial, o ritual do chá e uma massagem, a escolher. Preferi deixar a flutuação para outra altura e quanto à massagem, essa confiei em quem sabe, que o mesmo é dizer, em quem me prometia recuperar energia e desfazer todas as contracturas acumuladas pelas costas.

Aqui, o espaço é pequeno. Mas quem recebe fá-lo com o sorriso aberto de quem gosta de o fazer. De resto, há pequenos pormenores que nos fazem começar a abrandar e a respirar mais devagar. É o caso da música, equilibrada e ao nível que se quer, ou do cheiro a óleo essencial de lemongrass. Ou do princípio de tudo: começámos por ser encaminhados para uma sala de relaxamento onde nos mimam com um chá de boas-vindas, o Balance & Detox com funcho, casca de limão e chá verde, no meu caso. Só depois, quando já não pensamos em mails ou chamadas a fazer, e já depois de termos escolhido, entre vários, o óleo essencial que preferimos para a nossa massagem, é que seguimos para o gabinete.

O que é que estava à nossa espera? Uma massagem de pedras quentes (potenciada pela aromaterapia do óleo escolhido e por técnicas de massagem manuais).

Ao longo de 1 hora e 15 minutos, os músculos descontraem-se e os nós e tensões extinguem-se. Adormecer? É possível, ou as pedras quentes vulcânicas utilizadas não proporcionassem uma profunda sensação de relaxamento e conforto, que se combina com algumas das melhores técnicas de massagem manuais… começando nos pés, continuando nas pernas e subindo para as costas.

O tratamento termina com uma suave massagem facial para hidratar e relaxar o seu rosto. Agora, são mais 35 minutos de um tratamento que inclui limpeza, peeling, máscara-creme e hidratação final, em jeito de mimo final.

O Float In tem nove anos de experiência e três spas em Lisboa. Este, o de Belém, é mais pequeno, com cerca de 100 m2, duas salas de tratamento e uma de relaxamento, sendo dedicado exclusivamente a massagens e tratamentos corporais e faciais. A grande diferença, face aos restantes, é não ter sessões de flutuação. Neste caso, a falta não se fez notar!

Recomendar
  • gplus
  • pinterest

Comentar este artigo

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

*