Já faz marketing de influência?

M.ª João Vieira Pinto
Directora de Redacção Marketeer

Fixe este número: 13,5 milhões de euros. Sim, é mais ou menos isto que ganha, por ano, o maior youtuber do mundo. Chama-se Dan-TDM, é gamer, tem qualquer coisa como 11 biliões de visualizações, já publicou um livro e fez uma tournée… paga, claro! Agora, mude de plataforma. Já ouviu falar de Cameron Dallas? Tem mais de 20 milhões de seguidores no Instagram. E Chiara Ferragni? Pois, é seguida por mais de 11 milhões e por cada post recebe a pequena quantia de 10 mil euros.

Não, o mundo das marcas não está louco. O que percebeu é que depois da publicidade pura e dura e tantas vezes mal direccionada, the new black dá pelo nome de marketing de influência. Há os embaixadores e, agora, os microinfluenciadores, traduzido por pessoas comuns que ganham notoriedade e relevância nas redes sociais. E é precisamente a estes que dedicamos o tema de capa desta edição. São uma pequena força na sombra. Nomes que não vêm em capas de revistas sociais, mas que fazem mais por algumas marcas do que alguns rostos habituais dos ecrãs televisivos.

São pessoas a comunicar para pessoas que com elas partilham estilos de vida e gostos. São pessoas “normais” que influenciam milhares. E são também milhares esses microinfluenciadores que hoje habitam em diferentes áreas – entre o desporto, o lifestyle, a culinária ou as viagens – e que chamam a si audiências segmentadas e muito envolvidas. Precisamente o filão que as marcas procuram.

Sérgio Meireis, fundador da Cheese Me - agência dedicada ao marketing de influência no Instagram –, lembra que «uma das preocupações actuais das marcas é a selecção de influenciadores para comunicar os seus produtos». Nesta edição damos a conhecer, entre outros, o caso de Alice Trewinnard. A luso-britânica, licenciada em Dietética e Nutrição, começou no YouTube em 2015 e, desde há dois anos, avançou para o Instagram. Hoje, a “conselheira” de beleza e lifestyle tem, só nesta plataforma, perto de 90 mil seguidores. Nunca tinha ouvido falar de Alice? Pois, são milhares os que vêem e interagem com os seus posts, todos os dias.

Como lembram os managing partners da agência Milenar, «os influenciadores são líderes comunitários, genuínos, pessoas reais que criam confiança e orientam a conversa através de canais de media social. As suas publicações levam as pessoas a falar e a agir». Razão pela qual «as marcas vão continuar a investir em criadores de conteúdo e devem fazê-lo sempre baseado na regra dos 3 Ás: afinidade, alcance e autenticidade». E a sua, já o faz?

Editorial publicado na edição da revista Marketeer n.º 259, de Fevereiro de 2018.

Recomendar
  • gplus
  • pinterest

Comentar este artigo

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

*