Luz, câmara, acção… by Google

Texto de André Alves, Digital & Web Development Specialist da Católica Lisbon School of Business and Economics

Estima-se que a população mundial ronde os 7,6 mil milhões de habitantes e, segundo o Statistics Portal, a penetração do mobile phone já ronda os 65,9% este ano e em 2019 irá ser de 67,1%.

Por cá, sabemos que 85% da população em Portugal usa a internet pelo menos uma vez por dia, e, destes, 47% acede às redes sociais. Pode-se criticar a dependência dos social media mas não se pode negar a predominância e alteração do paradigma no mercado mundial.(*)

Não é só o acréscimo de utilização, o consumidor, agora mais exigente, tornou-se mais híbrido, consumindo vários tipos de conteúdos diferentes, mais dinâmicos e interactivos. Veja-se, por exemplo, o consumo exponencial de utilizadores no Instagram e no Snapchat, a quantidade avassaladora de vídeos, as stories cada vez mais frequentes no nosso feed de notícias, sejam de utilizadores particulares ou conteúdos patrocinados pelas marcas.

O vídeo tem o monopólio dos conteúdos digitais! Veja-se o caso do Youtube, que em Portugal é acedido por 66% da nossa população. Tudo isto aliado aos 5,70 milhões de portugueses que usam o smartphone para entrarem nas suas redes sociais.

Com o mote de alteração da pegada digital, a Google anunciou, no passado dia 13 de Fevereiro, o AMP Stories que visa combater as ditas “stories” do Snapchat e do Instagram. O Accelerated Mobile Pages foi criado em 2015, mas junta agora o formato de história para proporcionar ao utilizador uma navegação mais fluída, dinâmica e rápida.

A boa experiência proporcionada aos utilizadores, que não gastam tanto tempo ou dados móveis em comparação aos vídeos colocados pelas marcas, são o ex-líbris deste serviço.

Nesta fase piloto, as marcas que estarão envolvidas são as gigantes americanas, como a CNN, Wired, Cosmopolitan e o Washington Post. O motor de buscar forneceu um link  que deve ser acedido na versão mobile e que se se pesquisar (p.e.) pelo Washington Post e pela Wired permite visualizar os resultados deste já sucesso.

google

Segundo a Google, esta nova funcionalidade irá permitir uma nova abordagem ao que é comunicado, conferindo às marcas novas formas de se expressarem.

Existe, no entanto, uma característica singular desta ferramenta em comparação às típicas “Stories” do Snapchat e Instagram, que é o facto do AMP não ter tempo limite, permitindo ao utilizador a visualização integral do conteúdo.

Em relação às marcas, a Google anunciou, aquando da criação das “Stories” do AMP, a maneira como os web developers podem incorporar este tipo de conteúdos nos seus sites, permitindo alterações paradigmáticas na forma como se comunica.  Cada vez mais, procuram-se sites que sejam fidedignos, transparentes, no que diz respeito a informação disponibilizada, apelativos, rápidos, interactivos, com foco no cliente e com funcionalidades únicas oferecendo ao consumidor uma experiência ímpar (user experience).

A junção de valências de um bom site aliado ao poder inquestionável do Social Media admite, a estes canais de comunicação, a fórmula de sucesso no que diz respeito à proliferação de conteúdos e informações necessárias aos utilizadores.

Estas marcas querem chegar ao consumidor por todas as vias possíveis, tentando não deixar espaço para concorrentes emergentes, conseguindo conferir aos utilizadores, os verdadeiros beneficiados com estas “novas” soluções, uma variada forma de aceder a conteúdos nos diversos canais de plataformas digitais. O release para Portugal ainda não está anunciado, mas esta funcionalidade permite-nos caminhar, a passos largos, para a criação de maior awareness e maior engagement para o nosso público-alvo.

(*) Dados retirados do Portugal Digital Report 2018

Recomendar
  • gplus
  • pinterest

Comentar este artigo

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

*