Diga olá aos microinfluencers

A Cheese Me, agência dedicada em exclusivo ao marketing de influência no Instagram, procura ligar as melhores marcas aos melhores influenciadores nacionais, com um gosto e comentário de cada vez.

Texto de Sérgio Meireis, fundador da Cheese Me

Numa era em que os canais tradicionais de comunicação estão saturados e perderam autenticidade, os influenciadores digitais chegaram para comunicar marcas com testemunhos reais. A Cheese Me, a primeira (e até agora única) agência em Portugal dedicada em exclusivo ao marketing de influência no Instagram, reconhece a sua culpa, já que conta com mais de 300 influenciadores.

Uma delas é Sílvia Catarina Silva, que tem mais de três mil seguidores no Instagram e, com uma média de 500 gostos por publicação, é considerada uma microinfluenciadora digital. Não, não é uma celebridade mas uma pessoa que partilha frequentemente os seus interesses e paixão por fotografia com os seus followers. “Tens um vestido tão giro”, lê-se num comentário. “Adoro as botas! Onde compraste?”, perguntam. As estatísticas não mentem: 70% dos seguidores desta influencer são mulheres na faixa etária dos 18-24 anos (leia-se potenciais consumidores de marcas de moda, beleza e lifestyle) que, muito provavelmente, já mal olham para a televisão, mas seguem diariamente páginas de influenciadores no Instagram.

A verdade é que as decisões de compra são cada vez mais baseadas no que vemos e nos é recomendado por quem escolhemos seguir. O futuro do marketing passa essencialmente pelas pessoas. As marcas têm de compreender que já não se trata de comunicar para pessoas, mas através de pessoas. Pessoas, essas, que tanto têm entre 2000 e 10 mil seguidores (microinfluenciadores) ou acima de 100 mil seguidores (macroinfluenciadores), e comunicam as marcas através de mensagens genuínas que podem influenciar milhares de pessoas. O papel dos influenciadores tornou-se essencial pela sua capacidade de passar testemunhos muito próprios e autênticos no Instagram. Mas porquê o Instagram? É que este assume-se como a rede social ideal para o marketing de influência, dado o seu elevado foco na partilha de conteúdos fotográficos.

Ao fim de quase dois anos, a Cheese Me soma mais de 150 campanhas, com um custo por impacto reduzido nos mais distintos sectores de actuação para cerca de 50 marcas com reputação nacional e internacional. Alinhamos a definição e execução das campanhas com a estratégia dos nossos clientes, garantindo a qualidade dos conteúdos publicados através da construção da mensagem a comunicar, da selecção de influenciadores, da monitorização da acção e da análise dos resultados. Nesta agência, a comunidade (perdão, família) trata-se por tu e distingue-se pelos mais diversos perfis segmentados que são adaptados a cada campanha. Uma das grandes preocupações actuais das marcas é a selecção de influenciadores para comunicar os seus produtos. Deve existir uma elevada confiança entre a marca e o influenciador e é aqui que a Cheese Me entra para promover um match perfeito. Seja uma fotografia capturada com o telemóvel ou com uma câmara fotográfica, o importante é que os conteúdos produzidos sejam originais e, ao mesmo tempo, totalmente alinhados com as mensagens que a marca está a pagar para passar.

«O nosso trabalho vai muito para além de uma fotografia ou um texto sobre um produto novo. É necessário sermos criativos, dedicados e conhecermos quem nos segue», explica Diana Lopes da Silva, seguida por 19 mil pessoas no Instagram. «Fazer parte da Cheese Me significa querer estar sempre à altura de cada partilha e passar a mensagem certa a cada pessoa.» A macro-influenciadora Joana Vaz, com mais de 100 mil seguidores, concorda: «Eu, como influenciadora, zelo pela autenticidade e tenho sempre alguma sensibilidade na forma como abordo os produtos pois os meus seguidores efectivamente confiam em mim e no meu testemunho.»

Mas qual é a diferença entre ter 3 mil e mais de 100 mil seguidores? «A diferença é que essencialmente trabalhamos em maior escala ao contrário de um microinfluenciador», refere Joana Vaz.

No entanto, tipicamente existe uma maior identificação dos seguidores com os microinfluenciadores, o que se traduz numa interacção mais elevada e num custo por impacto mais reduzido. Ao contrário dos “embaixadores de marca” como cantores, actores e figuras públicas que tipicamente têm estatutos inalcançáveis pela elevada notoriedade adquirida, os micro-influenciadores são pessoas comuns que se destacam nas redes sociais. E, desta forma, influenciam consumidores, estimulam conversações sobre marcas e estimulam a venda de produtos. Daí que, em breve, a Cheese Me ambicione alargar a comunidade e chegar aos 1000 influenciadores para conseguir explorar novos segmentos de influência que permitam dar resposta aos desafios de comunicação de mais indústrias. Que é como quem diz: continuar a ligar as melhores marcas aos melhores influenciadores nacionais com um gosto e comentário de cada vez.

Recomendar
  • gplus
  • pinterest

Comentar este artigo

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

*