5 tendências no consumo de luxo

A forma como o luxo é percepcionado tem vindo a evoluir. Parte da culpa poderá ser atribuída à mudança de comportamento dos consumidores, que já não procuram as mesmas coisas nem têm as mesmas exigências.

De acordo com o estudo “El Futuro del Marketing de Lujo”, elaborado pela Mindshare e reportado pelo site Marketing News, palavras como “glamour”, “sensual” e “elegante” foram trocadas por “líder” e “lovable”. Eis as cinco tendências a ter em atenção:

1 – Reduzir a dimensão. Existe uma percepção negativa associada a produtos de luxos que são fabricados de forma massificada. Os consumidores, especialmente os mais jovens, preferem artigos mais personalizados, produções mais pequenas e, por isso, mais restritas;

2 – Consumidores mais discretos. Os novos consumidores já não se sentem pressionados no sentido de evidenciar a sua condição financeira – já não se endividam para conduzir um automóvel topo de gama, por exemplo. No sentido oposto, competem entre si para mostrar quem é mais generoso e altruísta. Isto significa que procuram marcas de luxo que se distingam pelos seus valores, propósito e nível de confiança;

3 – Multiculturalidade. A sociedade é cada vez mais global e, de acordo com o estudo da Mindshare, os consumidores multiculturais consomem mais produtos de luxo do que os consumidores caucasianos. Neste sentido, as marcas devem dirigir-se também a este público, adaptando a sua comunicação;

4 – Novo significado. Os artigos de luxo, ainda que com valores avultados, estão à distância de uma transacção. A tranquilidade, o bem-estar e unicidade são apresentados como novos luxos, uma vez que parecem ser mais difíceis de alcançar. Experiências irrepetíveis e pouco tradicionais também fazem parte deste novo conceito;

5 – Cinco tipos de consumidores de luxo. De acordo com o mesmo estudo, não existe um tipo de consumidor de luxo, mas sim cinco. Os Lutadores (24% do total) encaram o luxo como evidência do seu sucesso; os Trendsetter (16%) criam tendências e acreditam que o luxo é uma forma de se diferenciarem dos restantes; os Estetas (17%) são maioritariamente mulheres e consideram o luxo como ponto máximo da estética e do design; os Only the Best (23%) estão à procura da melhor qualidade possível; e os Conforto em Primeiro são consumidores que vêem no luxo uma forma de vida com significado.

Recomendar
  • gplus
  • pinterest