Nielsen quer resolver falhas no planeamento das prateleiras

Do total de artigos que deveriam ir parar às prateleiras dos supermercados, 28% acabam por não ser colocados à venda. Dados da Nielsen indicam que 50% dos planos aprovados pelos retalhistas não são implementados da forma prevista.

A Nielsen indica, ainda, que as revisões realizadas aos planos de implantação de produtos nos lineares, anualmente, podem custar entre 30 e 50 mil dólares (24 e 40 mil euros) por loja mas que apenas 15% resultam em mudanças.

Os dados são apresentados de mãos dadas com o novo serviço Mobile Shelf Planner da Nielsen. Em comunicado, a consultora explica que a solução, com base em cloud, permite às marcas de FMCG e retalhistas criar, ajustar e executar planos em tempo real.

Simon Trott, responsável de Assortment & Space Optimisation na Nielsen, explica que, tradicionalmente, os profissionais que planeiam a disposição dos produtos nas prateleiras criam um plano que é, depois, enviado para a loja, impresso e afixado. O problema com este processo, afirma, é o facto de ser unidireccional e difícil de adaptar consoante as vendas reais da loja – tendo em especial consideração que estes planos podem ser pensados para três a 24 meses.

Recomendar
  • gplus
  • pinterest