A aposta dos media nas novas plataformas digitais

media2O contexto económico pleno de incertezas que se vive actualmente não desacelerou o desenvolvimento de tecnologias digitais. Os novos smartphones e tablets já chegaram ao mercado e prometem alterar hábitos de consumo de media. Em Portugal, estes dispositivos estão com procura crescente e implicam alterações de fundo por parte de empresas de conteúdos. Os grupos Controlinveste e Cofina e o semanário “Sol” não ignoraram a inevitabilidade da migração para a era digital.

De acordo com um estudo da PricewaterhouseCoopers (PwC), os consumidores estão a abraçar as novas experiências de media a uma velocidade “impressionante”, numa corrente de mudança de uma magnitude diferente das anteriores.

Em consonância com as mais recentes tendências em soluções tecnológicas, o semanário “Sol” já veio afirmar ao mercado a sua aposta em versões editoriais para o iPad e iPhone, num trabalho de parceria com a Vodafone. Dado o crescimento que o mercado tem vindo a apresentar, o jornal não exclui o investimento noutras plataformas e, apesar de inicialmente o projecto incidir nos dispositivos da Apple, estão já a ser movidos esforços no sentido de avançar para novas soluções, como o Android ou Blackberry.

Como vantagem mais evidente, Filipe Coelho, administrador delegado do “Sol”, destaca o facto de o jornal estar presente junto dos leitores em todos os meios e suportes «com os quais eles se sintam confortáveis e proporcionar-lhes experiências de leitura de conteúdos nas plataformas tradicionais, como o papel ou o computador, nas que adquirem cada vez maior importância, como o mobile, e nos aparelhos que representam inovações tecnológicas e estão a marcar o mercado, como o iPad». E reconhece que «o “Sol” quer marcar fortemente a sua presença nos meios que significam inovação tecnológica».

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...