Mulheres que marcam

quadradoamareloSão mulheres que construíram e gerem os seus próprios negócios. Na restauração, na moda ou no design, foram ganhando dimensão nos domínios onde actuam… e são, hoje, exemplos a seguir! Conheça a história de cinco “self-made women”: Alexandra Gusmão, Ana Cunha, Beatriz Lemos, Mafalda Pinto Leite e Margarida e Rita Coutinho.

Alexandra Gusmão: “A moda como um estilo de vida”

Responsável em Portugal pelas marcas BCBG; Max&Co; Coccinelle e Karen Millen.

gusmao2

Alexandra Gusmão começou cedo a trabalhar na área da moda, como vendedora. Em 2001 abriu a sua primeira loja, depois de conseguir trazer a BCBG para Portugal. Hoje, a esta acrescenta a gestão da Max&Co, da Coccinelle e da Karen Millen.

Em 2010 duplicou o número de lojas, entrou no El Corte Inglés com exploração própria, e a empresa – que gere com o marido – responde agora por um total de 10 pontos de venda entre Lisboa e Porto e emprega cerca de 80 colaboradores, entre assistentes de loja a costureiras, passando pela área administrativa ou a direcção de marketing. «Nos primeiros quatro anos crescemos 30%; todos os anos fomos aumentando a nossa facturação em 20%. Neste momento, temos marcas que estabilizaram, uma que cresceu 30% e uma outra 15%», informa.


cunha22Ana Cunha: “Entre o design e o negócio”

Executive & creative director RMAC (Grupo BBDO Portugal

Se pedíssemos a Ana Cunha que ilustrasse o percurso ascendente que a levou à direcção da RMAC (Grupo BBDO), a sua resposta teria, provavelmente, sido mais espontânea.

É designer, e prefere desenhos a palavras. Talvez por isso, durante os longos anos de trabalho directo com Ricardo Mealha – 15, exactamente -, tenha aparecido com alguma reserva em ocasiões de entrevista.

No entanto, e há um ano a conduzir a solo a RMAC, Ana Cunha já arrisca, pontualmente, usar um “AC” para assinar e-mails. Uma identidade que lhe é estranha, já que as suas iniciais se fi zeram acompanhar, quase desde o início do seu percurso como designer, pelas de Ricardo Mealha.

Beatriz Lemos: “Matriarca da família Glam”

Directora da Glam Celebrity Management

beatriz2

Não é casada e não tem filhos. Aos 37 anos Beatriz Lemos refere-se aos agenciados da Glam como os seus meninos… Porque é assim que encara a profissão, com o atendimento e disponibilidade permanente que os filhos exigem de uma mãe ou que elas exigem a si próprias.

A história da Glam Celebrity Management, empresa que criou com o irmão – Luís Lemos -, funde-se com a sua. Foi há dez anos que, enquanto estudava publicidade na Universidade Fernando Pessoa, no Porto, começou a trabalhar em relações públicas no Ribeiro Café. «Trabalhava para pagar a faculdade», conta Beatriz Lemos. Curiosamente, diz, com a entrada no mundo dos negócios nunca acabou a licenciatura, ficando a faltar-lhe um ano. «Primeiro disse que acabava até aos 30, depois até aos 35, agora digo que é até aos 40», conta.

Mafalda Pinto Leite: “A cozinha como um escape”

Cozinheira

mafalda21

É com esta designação que Mafalda Pinto Leite se identifica, apesar de ter obtido o diploma de Chef pelo “Natural Gourmet Institute for Health and Culinary Arts”, de Nova Iorque, para onde rumou aos 21 anos. Passou por restaurantes na Califórnia, no Havai, mas foi em Londres que conheceu aquele que hoje indica como a sua maior inspiração profi ssional, Jamie Oliver, com quem trabalhou no restaurante Monte’s, juntamente com o chef australiano Ben O’Donoghue. Foi aí, diz, que aprendeu realmente o que é trabalhar num restaurante. Passou pela Books for Cooks, uma livraria de Notting Hill com um restaurante nas traseiras, onde ganhou a calma necessária para quem tinha acabado de ser mãe.

Margarida e Rita Coutinho: “Uma vida entre tachos e panelas”

Fundadoras do Puro Acaso

rita2

Não foi obra do acaso que as levou a entrar no negócio da restauração. A longa tradição familiar de Margarida e Rita Coutinho na arte gastronómica, com mais de 30 anos de experiência e diversos familiares a trabalhar no sector, foi um dos impulsos para a criação do negócio. Antes ainda do 25 de Abril já a mãe das duas irmãs cozinhava para fora abastecendo, na altura, alguns supermercados, onde o conceito de comida pronta era, então, uma novidade.

Hoje, Margarida e Rita Coutinho, 46 e 41 anos, respectivamente, são as fundadoras do conceito

Puro Acaso, com restaurante no Largo do Calvário, respondem por um serviço de fornecimento de refeitórios de empresas e entraram recentemente em centros comerciais através do Tivoli Fórum.

Leia a versão completa da reportagem na edição de Abril de 2011 da Revista Marketeer

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...