Let the games begin!

A contagem decrescente já começou e são muitas as marcas que não querem ficar de fora do maior acontecimento desportivo à escala global deste Verão. Londres vai receber os Jogos Olímpicos e o mundo, como sempre, vai parar para ver.

Texto de Maria João Lima

As datas há muito que são conhecidas. Entre 27 de Julho e 12 de Agosto o mundo vai parar para ver quem são os melhores entre os melhores em 36 modalidades, que vão da canoagem ao judo, passando pela ginástica ou o pólo aquático. Depois chegará a vez dos Paralímpicos, entre 29 de Agosto e 9 de Setembro.

À semelhança do que acontece a nível global, também em Portugal as marcas não querem ficar de fora desta maratona. Ainda assim, dada a actual conjuntura económica, João Malha, director de Marketing e Comunicação do Comité Olímpico de Portugal, constata alguma contracção no valor de cada patrocínio. Algo que considera «perfeitamente compreensível», já que «o panorama económico é sempre condicionante da área de patrocínios, dado que as empresas têm menor disponibilidade para investir». Contudo, sublinha, «em termos absolutos, o número de sponsors é consideravelmente superior ao de há quatro anos». A isto não terá sido alheio o facto do Comité Olímpico de Portugal (COP) ter desenvolvido nos últimos meses uma estratégia de aproximação que, diz João Malha, «gerou excelentes resultados».

E acrescenta: «Conseguimos reunir um conjunto de sponsors nacionais e internacionais de referência que nos garantem um importante apoio ao sucesso da Missão Portuguesa aos Jogos Olímpicos Londres 2012.» Do anterior ciclo olímpico migram o Continente, a Delta e a Samsung. Já como parceiros, mantiveram- se a RTP, Cision, Cosmos Viagens e a DB Schenker. Ao leque de patrocinadores junta-se agora o Millennium bcp, a EDP, a REN, a Modalfa, a Sport Zone, a HPP e a P&G. João Malha garante que a notoriedade é um dos pontos a destacar em termos de vantagens da associação de uma marca ao COP, «dada a ligação que é garantida ao maior evento multidesportivo do mundo, sobre o qual recaem as atenções globais». Simultaneamente, acrescenta, «permite às marcas ligarem-se às emoções dos seus consumidores através do desporto. Portugal é um país de gente apaixonada pelo desporto e esta associação garante às marcas esse capital emocional que é decisivo no momento da decisão de compra».

Ainda assim, muitas marcas que patrocinam o COP associam-se também individualmente a alguns atletas. João Malha defende a sua dama: «Obviamente que patrocinar uma equipa ou um grupo é mais abrangente do que um atleta apenas, o que não significa que seja menos interessante ou valioso.» A verdade, admite, é que «tudo depende da estratégia e objectivos do patrocinador».

A EDP é um dos exemplos de empresas que está presente das duas formas: através do patrocínio ao COP (desde 2011) e do apoio à dupla Álvaro Marinho e Miguel Nunes, que competem na modalidade de vela, na Classe 470. No âmbito do patrocínio da EDP ao Comité Olímpico de Portugal, o Grupo EDP é também sponsor da equipa olímpica portuguesa. «Desta forma disponibiliza uma verba ao Comité, que este aplica da melhor forma na promoção e apoio das suas modalidades nos Jogos Olímpicos de 2012», explica Paulo Campos Costa, director de Comunicação e Marca da EDP. O mesmo responsável explica a razão que ditou a associação: «A EDP desenvolve uma forte política de responsabilidade social, como tal – e porque é importante que todos os cidadãos mantenham hábitos de vida saudáveis, nomeadamente através da prática do desporto -, apoia o COP como forma de incentivo à prática do desporto.»

Já a REN quis associar-se ao COP no apoio à participação da equipa olímpica portuguesa nos próximos Jogos Olímpicos, por entender que se trata de uma referência para todos os cidadãos e pela ambição e valores que representa. O apoio financeiro ao COP, que arrancou no início do ano, justifica-se pelos vários pontos em comum: a orientação para os resultados, a procura da excelência, o espírito de equipa, o trabalho constante com vista à superação e melhoria contínua, são alguns exemplos enumerados por fonte oficial da REN. Além disso, acrescenta, a equipa olímpica portuguesa reúne atributos extraordinários como o orgulho nacional, a excelência dos atletas e o ideal olímpico. «São atributos que qualquer marca ambiciona», informa a marca. Mas a REN não quis deixar de fora aqueles que muitas vezes não são tão lembrados pelas marcas. Daí que apoie também a atleta paraolímpica Diana Guimarães.

Ambição, espírito de vitória, compromisso, trabalho e paixão são alguns dos valores partilhados entre o Millennium bcp e os atletas olímpicos e que ditaram a assinatura do protocolo em Abril deste ano, fazendo desta instituição o Banco Oficial do Comité Olímpico Português. Miguel Magalhães Duarte, director de Comunicação do Millennium bcp, explica que «os Jogos Olímpicos representam o maior acontecimento desportivo à escala global. Tal como o Millennium, os atletas olímpicos corporizam estes valores.

Como esta iniciativa, têm como objectivo elevar o nome de Portugal em todo o mundo».

Responsabilidade social

Mais experiente nestas corridas é a Delta Cafés, qua apoia financeiramente o COP de forma contínua desde 2000. Marco Nanita, director de Marketing, explica que «há mais de 50 anos que a Delta Cafés se assume como uma marca socialmente responsável, fidelizando a comunidade através dos seus valores, produtos e serviços, intervindo de forma pró-activa no desenvolvimento integrado da comunidade».

O patrocínio ao desporto, nomeadamente ao COP, decorre da política de responsabilidade social da marca, que apoia o desporto nacional e os atletas portugueses. «A marca aposta em projectos vencedores que fortaleçam a relação emocional com o consumidor e que elevem os valores da portugalidade. A Delta Cafés acredita que este é claramente um projecto vencedor que dignifica além-fronteiras o País. Desta forma, a marca renova o seu compromisso com o desporto nacional e com todos os portugueses», resume Marco Nanita, lembrando que a Delta Cafés tem apoiado e promovido várias iniciativas desportivas de âmbito local e nacional em modalidades desportivas, que vão do futebol ao basquetebol, andebol e automobilismo.

Também o Continente – que apoia o Comité Olímpico de Portugal desde Setembro de 2007 – vê este patrocínio como a vontade da marca «contribuir para que as várias modalidades olímpicas e o esforço dos seus atletas se destaquem e possam representar grandes feitos e causas de enorme orgulho nacional e internacional». Contribuindo, claro, para que Portugal se faça representar ao mais alto nível num evento da importância dos Jogos Olímpicos. Paralelamente, o Continente procura contribuir para a divulgação da prática desportiva e para a adopção de comportamentos que promovam a saúde e o bem-estar.

Em 2008, o Continente, em conjunto com a Imprensa Nacional Casa da Moeda e o Comité Olímpico de Portugal, lançou uma moeda comemorativa dos Jogos Olímpicos de Pequim. No valor de 2,5 euros e em edição limitada de 400 mil exemplares, a moe- da esteve em circulação através das lojas Continente, sendo fornecida na linha de caixas como troco no pagamento em dinheiro. À semelhança do que fez em 2008, o Continente vai lançar, este ano, uma moeda comemorativa da participação portuguesa nos Jogos Olímpicos de Londres no valor de 2 euros. O lançamento desta edição limitada tem como objectivos apoiar os atletas lusos e divulgar o apoio do Continente aos grandes momentos de Portugal no mundo. Aliás, a marca lembra que os Jogos Olímpicos são relacionados em Portugal a participações vitoriosas de atletas que provocaram grande envolvimento do País, como Rosa Mota, Carlos Lopes, Fernanda Ribeiro ou Nelson Évora. «Aos Jogos Olímpicos e aos atletas olímpicos são associados valores muito positivos, como a união, a celebração da humanidade, do esforço para o sucesso e que os tornam numa marca poderosa e emotiva», justifica a marca, que acrescenta que os atletas olímpicos representam unidade, paz, universalidade e comunidade, mas também a celebração da diversidade e a afirmação dos valores nacionais, «valores que o Continente também partilha e promove no seu dia-a-dia».

O apoio e a promoção do desporto em Portugal tem também sido a missão da Sport Zone desde há 15 anos. Daí que, «sendo a Sport Zone uma empresa portuguesa, patrocinar o COP e equipar a equipa olímpica, além de ser uma responsabilidade social da marca, seja também um privilégio para quem faz da sua actividade a comercialização de artigos desportivos», explica Ricardo Cunha Lopes, gestor de Marketing da Sport Zone. A Sport Zone está associada ao COP desde 2010, altura em que patrocinou a representação portuguesa nos Jogos Olímpicos da Juventude. No caso desta marca o patrocínio é exclusivamente em produto, nomeadamente, equipamentos desportivos e outros artigos para acções promocionais. «A qualidade dos nossos equipamentos tem merecido o reconhecimento do COP, sendo uma mais-valia para os atletas de alta competição, tal como o são para a generalidade dos portugueses», garante Ricardo Cunha Lopes.

E é também por isso que a Sport Zone apoia dezenas de atletas em Portugal, com aquilo que tem de melhor – equipamento desportivo e alimentação desportiva. E apesar de nem todos terem lugar nos Jogos e, neste momento, ainda estarem em fase de apuramento, Fernando Pimenta da canoagem é uma das grandes referências da marca. Ricardo Cunha Lopes acredita que esta parceria, além de fortalecer os valores da marca e enquadrar-se na política de responsabilidade social, contribuirá para incrementar a notoriedade que a Sport Zone conquistou ao longo dos anos com o apoio a centenas de atletas das mais variadas modalidades e com a disponibilização aos clientes de produtos de elevada qualidade. Porque, entre os valores partilhados entre a marca e os atletas olímpicos, encontra-se, diz o gestor de Marketing, «qualidade, exigência, portugalidade, dedicação e paixão pelo desporto».

Daí que a marca aproveite todos os seus suportes promocionais para dar a conhecer o envolvimento no projecto olímpico: spots TV, folhetos, Facebook e site. Na calha está uma campanha exclusivamente de apoio a Portugal, que irá passar na televisão, e a organização de um evento com o COP, que juntará mais de 4000 crianças em Lisboa.

A importância da saúde

E se o apoio da Sport Zone se manifesta essencialmente em produtos, o envolvimento da HPP Saúde na preparação da equipa olímpica centra-se, sobretudo, na prestação de cuidados de saúde aos atletas. É essa a mais- valia que a HPP Saúde oferece: o seu core business aplicado aos melhores atletas do País. «Os atletas olímpicos partirão para Londres com a certeza de terem tido a melhor contribuição para a prevenção da doença, monitorização do seu estado de saúde e apoio médico.

Todos os atletas vão poder usufruir de um acompanhamento transversal e multidisciplinar em áreas especializadas e fundamentais para os desportistas federados, como a imagiologia, fisioterapia, ortopedia e traumatologia, entre outras, apoio que visa inscrever-se no programa de treino e preparação para esta competição de prestígio internacional, garante Guilherme Victorino, director de Marketing e Comunicação da HPP Saúde, marca que foi convidada há um ano para integrar este projecto nacional. Guilherme Victorino explica que, ao longo dos últimos anos, a HPP Saúde tem vindo a estabelecer parcerias com entidades de referência no desporto, estando presente como Serviço Médico Oficial em competições nacionais e internacionais que decorrem no nosso País. «Os atletas, e em particular os olímpicos, são figuras de referência para a sociedade, são um exemplo, sobretudo para os mais jovens. Apoiar o Comité

Olímpico de Portugal é estar ao lado daqueles que aspiram a ser os melhores e para quem a saúde e o bem-estar são uma prioridade», explana. Através desta parceria, a HPP Saúde pretende influenciar a sociedade de forma positiva, no sentido de valorizar a saúde e a adopção de comportamentos e estilos de vida saudáveis.

Os valores da HPP assentam numa relação de compromisso para com quem procura os seus serviços, promovendo uma cultura de trabalho em equipa, atenção ao detalhe, responsabilidade individual, inovação e iniciativa, tendo como lema a paixão e impulso para a melhoria contínua do trabalho que fazem, a valorização das pessoas, a responsabilidade social e ambiental, garantindo o presente e sustentando o desenvolvimento futuro, explica Guilherme Victorino. E acrescenta: «Estes são os valores da HPP Saúde, que em muito se cruzam com a filosofia de vida e os valores do olimpismo. Fundindo o desporto e a educação, o olimpismo procura criar uma forma de vida baseada na força de vontade, nos valores educacionais do bom exemplo, na responsabilidade social e no respeito universal pelos princípios e pela ética.»

Mas o responsável de Marketing vai mais longe ao dizer que a excelência, o respeito pelo próximo e o lema “mais rápido, mais alto, mais forte” são o que a HPP Saúde tem feito na sua área. «Chegar sempre mais além, seja pela diferenciação dos serviços de saúde que presta, seja pela aposta na inovação e no pensamento direccionado para o futuro e para a melhoria contínua, seja pela ética que empresta a todas as suas actividades e no contacto com o próximo.» Daí que Guilherme Victorino defenda que a prestação de cuidados de saúde de excelência e a aspiração dos nossos atletas ao longo do seu percurso olímpico partilham grandes afinidades de valores.

Marcas globais com estratégias locais

As marcas nacionais não são as únicas a querer estar ao lado dos atletas nacionais. As multinacionais patrocinadoras do Comité Olímpico Internacional (COI) são também bem recebidas no COP. E a Samsung é uma das que está com o COP desde 1990! Patrocina o evento a nível global, mas tem acções internas desenhadas para acompanhar os atletas nacionais. O patrocínio da Samsung assume duas formas: valor e produto Samsung que é usado para equipar os espaços da missão portuguesa na Aldeia Olímpica.

A marca que lidera neste momento o mercado de telemóveis e smartphones identifica uma partilha de valores entre o movimento olímpico e a Samsung. «A constante busca pela superação, a importância dada ao indivíduo e ao seu bem-estar, que pode e deve advir de uma prosperidade partilhada, são valores que a Samsung professa e que encontram eco no espírito olímpico», explica Pedro Gândara, director de Marketing da Samsung Portugal. Razão pela qual, além de ser patrocinadora do COI e do COP, a Samsung tenha vários exemplos no mundo Samsung de ligação a atletas olímpicos que fazem parte da estratégia de activação dos vários países.

«Em Portugal estamos a fechar acordo com um dos nossos atletas olímpicos de maior reconhecimento», refere Pedro Gândara, escusando-se, no entanto, a revelar qual o atleta.

O responsável da marca explica que «a Samsung entende ter a obrigação de contribuir positivamente para o desenvolvimento das sociedades onde está inserida. Sendo os Jogos Olímpicos um evento transversal, cujos valores julgamos poderem contribuir para uma sociedade melhor, é nossa intenção estarmos associados a esta manifestação, ampliando a sua voz e com isto ligando a Samsung ao espírito olímpico». Pedro Gândara acrescenta: «A entrega e superação necessárias para estar nos Jogos Olímpicos levam a que todos os atletas cumpram aquilo que designamos por “extra mile”.

Um esforço maior, uma diferenciação que os leva a pertencer a um grupo restrito. Este espírito está igualmente patente noutras áreas da sociedade, onde outros cidadãos cumpriram a “extra mile” ao ter uma participação activa, dedicada e com impacto positivo na vida dos outros.» Daí que nesta edição dos Jogos Olímpicos ba Samsung pretenda homenagear estas pessoas – como Jamie Oliver, John Legend, ou a portuguesa Isabel Jonet -, cujas obras têm um contributo fundamental na sociedade.

Uma homenagem foi também o que motivou a maior campanha multimarca da Procter&Gamble (P&G). A campanha teve o seu arranque global em Janeiro, onde a P&G se apresentou como Patrocinador Orgulhoso das Mães para os Jogos Olímpicos de Londres 2012. «É uma parceria com a duração de 10 anos e a de maior abrangência alguma vez realizada entre o COI e uma empresa e as suas marcas», garante Martim Manoel, responsável pela campanha “Obrigada Mãe” da P&G em Portugal. A parceria com o Comité Olímpico Internacional é «uma grande oportunidade para se comunicar com os nossos consumidores sobre a marca P&G e o que defendemos», explica o responsável, já que vai permitir que a marca chegue a 4 mil milhões de consumidores em todo o mundo.

A par disso, com a venda dos produtos, a P&G vai angariar cerca de 5 milhões de dólares para apoiar o desporto juvenil. E é precisamente o desporto o elo de ligação entre Procter & Gamble e os Jogos Olímpicos: «A P&G tem como missão melhorar a vida das pessoas a nível global, que vai ao encontro do propósito do Movimento Olímpico, de melhorar a vida das pessoas através do desporto», explica Martim Manoel, que destaca nos atletas olímpicos os valores que a P&G defende, tais como integridade, liderança e paixão por vencer.

Martim Manoel explica como a P&G chegou à posição de patrocinadora global do evento: «Ao aliar-se aos Jogos Olímpicos de Vancouver 2010 através da equipa norte-americana, e já na altura com um foco em homenagear as mães, a P&G apercebeu-se do potencial da parceria, que resultou num impacto estimado de 100 milhões de dólares. Para os Jogos Olímpicos de Londres 2012, trata-se do primeiro patrocínio a envolver várias marcas sob um único patrocinador e também a mais ampla na história olímpica, com as marcas da P&G a terem direitos de marketing globais em mais de 30 categorias de produtos e de associação a mais de 200 Comités Olímpicos Nacionais em todo o mundo.» A marca sente que este patrocínio aumenta a confiança por parte do consumidor, o seu compromisso e envolvimento com a empresa e as vendas dos produtos.

O mesmo responsável explica que a P&G foca o seu negócio nas mães e com a campanha “Obrigado Mãe” – que em Portugal conta com a atleta Jessica Augusto – pretende homenagear as mães, celebrar o espírito da maternidade.

«Encomendámos nesse sentido um estudo sobre o papel da maternidade e a sua evolução, “The Changing Face of Motherhood”, que revela a importância do seu papel na nossa sociedade.

Promovemos diferentes acções, como um repto no Para Mim, em que desafiamos as mães a regressarem durante uma semana a 1930 e viverem com produtos e aparelhos da época. Proporcionamos também uma tarde especial às mães dos atletas olímpicos num spa, uma forma de as homenagear e celebrar pelo apoio incondicional que deram aos seus filhos», enumera. Além disso, a P&G oferece os bilhetes para as provas olímpicas às mães dos atletas para que possam presenciar o momento pelo qual tanto deram de si e apoiar os seus filhos nas competições.

Há ainda o convite para visitar e conhecer a Global Family Home, um espaço onde todas as mães podem conviver e passar momentos em família, durante a estada em Londres. «Vamos ainda disponibilizar a toda a Missão Portuguesa um kit de produtos de higiene e beleza, para a sua viagem a Londres», lembra Martim Manoel.

A campanha está a ser acompanhada de filmes publicitários em televisão, tendo o primeiro, uma homenagem às Mães, sido lançado no Dia da Mãe. Também alusivo ao Dia da Mãe, a P&G ofereceu um dia exclusivo às mães dos atletas olímpicos, que decorreu dia 24 de Abril no Cláudia Piloto Concept, onde estas desfrutaram de tratamentos de spa, cabeleireiro, maquilhagem e receberam um kit com diversos produtos da marca P&G. As mães de Jessica Augusto, Diana Gomes, João Ferreira, João Silva, Sara Carmo e Gustavo Lima foram algumas das presentes no evento.

O modo como cada patrocinador activa a sua presença nos Jogos Olímpicos depende sempre dos seus objectivos. Só no final, depois de todos cruzarem a meta, será possível dizer quais as estratégias que merecem ouro, prata ou bronze.

Redes sociais: aprovadas

O Comité Organizador dos Jogos Olímpicos de 2012 decidiu que – ao contrário do que tinha acontecido nos Jogos Olímpicos de Pequim os atletas devem ser encorajados a fazer uso das redes sociais, através de posts em blogues ou redes sociais, desde que estes não tenham propósitos comerciais. Além das mensagens, os atletas podem postar fotografias. No entanto, as transmissões de áudio ou vídeo de dentro das arenas olímpicas continuam proibidas. E, segundo as regras, qualquer infracção poderá ser punida com expulsão.

A cronometrar desde 1932

A Omega é das poucas marcas que está sempre presente nos palcos desportivos dos Jogos, sejam eles o estádio olímpico, a piscina olímpica ou outro qualquer lugar onde a cronometragem faça parte integrante do espectáculo. Paralelamente a toda a presença nos locais de competição, durante os Jogos Olímpicos a Omega terá ainda a funcionar a Omega House, no Soho como se de um clube privado se tratasse. Concebida para acolher convidados Omega, entre os quais os embaixadores da marca Nicole Kidman ou Greg Norman, a Omega House servirá de palco para alguns eventos VIP no coração de Londres.

Quinhentos dias antes do arranque dos Jogos foi desvendado o relógio que está em Trafalgar Square com 6,5 metros de altura, 5 metros de comprimento e um peso de cerca de 4 toneladas. Um segundo relógio de contagem decrescente Omega foi colocado em Greenwich para assinalar um ano até à data de arranque dos Jogos Olímpicos. Ambos estarão instalados até depois dos Jogos terminarem. Neste momento são um ponto de interesse turístico e estão sempre a ser fotografados.

Nuno Neves dos Santos, director de Marketing e Vendas Omega Portugal, faz notar que o convite inicial para ser Cronometrista Oficial surgiu nos Jogos Olímpicos de Los Angeles em 1932, fornecendo na altura 30 cronógrafos de elevada precisão. Nos JO de Berlim em 1936 foram já 185 cronógrafos. Nos Jogos Olímpicos de Londres, na sua 25.ª vez como Cronometrista Oficial, a Omega empregará mais de 450 profissionais da cronometragem apoiados por cerca de 400 toneladas de equipamento electrónico. A história não acaba aqui, pois em 2014 em Sochi (JO de Inverno) e no Rio em 2016 continuará a ser a Omega o Cronometrista Oficial.

Samsung e Visa com pagamentos móveis

A Samsung e a Visa aliaram-se para lançar uma tecnologia que permitirá aos consumidores efectuar pagamentos utilizando o telemóvel dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos. O objectivo das marcas com a aliança é deixar um legado no mercado após os Jogos Olímpicos de 2012. O telemóvel dos Jogos poderá ser adquirido através de operadores móveis e outros distribuidores. Os pagamentos por cartão electrónico e sem contacto estarão disponíveis ao longo dos preparativos e durante os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2012, a partir de vários pontos do mundo, existindo já em Londres mais de 60 mil locais onde aceitam este segundo formato.

A Visa garante que haverá mais de 3000 pontos de pagamento sem contacto instalados para os dois eventos.

Atletas lançam Diário

A plataforma Diário dos Olímpicos permite, através das palavras dos próprios atletas, acompanhar a caminhada até ao Olimpo e a sua estada nesta competição. «De quatro em quatro anos o mundo pára para ver os Jogos Olímpicos, no entanto desconhece o trabalho por trás de uma presença olímpica», explica em comunicado a Associação de Atletas Olímpicos de Portugal (AAOP). É com o objectivo de consciencializar a opinião pública desse trabalho que foi criada a plataforma que fará este acompanhamento ao longo de quatro meses, de 12 de Abril a 12 de Agosto – último dia dos Jogos Olímpicos.

Na plataforma cada atleta tem uma página sua, onde pode ser visto o seu palmarés e o seu diário. Da mesma forma, cada modalidade tem a sua página, onde se pode ver os respectivos atletas e o sistema de apuramento.

Dos posts dos atletas resultará uma publicação em livro inédita, coordenada pela convidada deste primeiro ciclo do projecto, a socióloga Ana Santos. No entanto, este não é um projecto pontual para o ciclo olímpico de Londres 2012. «É um projecto que será renovado ciclo após ciclo, não só com novos protagonistas, os atletas, mas também com novos convidados. Assim e com base nos relatos pessoais da experiência vivida, no dia-a-dia dos atletas, todos os ciclos olímpicos terão a sua publicação», garante a AAOP.

O Diário dos Olímpicos é uma iniciativa dos atletas de ontem em prol dos atletas de hoje, dirigido ao grande público. O projecto foi inteiramente criado e conduzido por atletas portugueses, tendo estado na base da criação Miguel Messias (atleta de alta competição – judo) e estando a responsabilidade editorial a cargo de Paulo Martins (olímpico Barcelona 1992 – luta).

Mobilizadores de energia

A BP, empresa que está sediada em Londres há mais de um século, está -pela primeira vez na sua história – a apoiar o Comité Organizador dos Jogos Olímpicos de Londres 2012, através do fornecimento de combustível, lubrificantes e gás a toda a frota automóvel de apoio a este evento. A BP vai fornecer os combustíveis e lubrificantes mais avançados de sempre a cerca de cinco mil viaturas oficiais dos Jogos, bem como combustível para os geradores de apoio à competição. «O nosso envolvimento na competição está intrinsecamente ligado à possibilidade de partilhar a emoção associada a um evento desta dimensão, magnitude e impacto», explica Luís Roberto, director de Comunicação e Relações Institucionais da BP Portugal.

A empresa acredita que o seu envolvimento pode fazer a diferença no resultado final desta competição: ganham os veículos que aumentam a sua performance e eficiência; ganha o ambiente, através de uma redução significativa da emissão de CO2; e ganha a BP, que teve a oportunidade de partilhar o seu empenho na procura de combustíveis com menores emissões de carbono e com maior sustentabilidade ambiental. Na base da associação esteve a convergência dos valores da BP com os do próprio movimento olímpico. «Os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos procuram mobilizar a energia humana para alcançar um desempenho extraordinário e este objectivo e mensagem tiveram um forte eco dentro da BP», refere Luís Roberto acrescentando que a principal mensagem da marca está centrada na criação de um legado a longo prazo para os britânicos, que se perpetue após os Jogos Olímpicos.

A BP tem estado a trabalhar em colaboração com o COI e outros parceiros culturais para disponibilizar aos britânicos e aos turistas uma oferta cultural diversificada na área das artes, eventos culturais, educacionais e desportivos durante Londres 2012.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...