Com que linhas se cose na Zara

AmancioOrtegaAmancio Ortega é o 3.º homem mais rico do mundo. A Zara uma das principais marcas de moda do planeta. No mundo da Inditex – o Grupo nascido na Corunha e que responde hoje por oito marcas, entre Pull&Bear, Bershka, Massimo Dutti, Oysho ou Üterque – tudo é, por isso, gigante. Fomos conhecer como se pensa, se faz e se cresce no maior grupo têxtil mundial

Texto de Maria João Vieira Pinto

Ainda hoje, Amancio Ortega continua a ser dos primeiros a chegar à sede da Inditex, em Arteixo, Corunha. Sempre foi assim, mesmo antes de fundar o negócio em 1963, então só uma pequena fábrica que fazia camisas numa garagem.

Amancio Ortega completou 77 anos em Março e já delegou funções executivas em Pablo Isla – actual CEO do grupo, que responde por insígnias como Zara, Pull&Bear, Massimo Dutti, Oysho ou Bershka. A própria filha mais nova desde há anos que acompanha o negócio. Mas nem assim o “senhor Ortega”, como é conhecido na Corunha, deixa de querer estar por perto do gigante que viu crescer. E se é dos primeiros a cruzar a porta de entrada, também nunca tem pressa para sair.

No dia em que a Marketeer visitou o quartel- general do grupo, um edifício espartano, de corredores brancos e salas sem qualquer elemento decorativo, não foi excepção, Amancio Ortega estava lá. No seu gabinete, bem ao lado da direcção comercial. Mas longe dos olhares e da tentação da imprensa. Porque, desde sempre, recusa dar entrevistas, deixando que as atenções continuem a recair sobre as suas marcas.

A única “entrevista” que se lhe conhece foi publicada pela inglesa “Times”. À revelia, depois de uma jornalista se ter feito passar por visitante da fábrica e de, por sorte, ter conseguido trocar algns minutos de conversa no elevador com aquele que é hoje o 3.º homem mais rico do mundo, segundo a revista “Forbes”.

Esta conquista faz com que as linhas que se seguem nos transportem para o reino de Lilliput. Apenas mudam os nomes das personagens. Aqui, Gulliver dá pelo nome de Inditex. Um gigante mundial que se estende pelos cinco continentes a partir da pequena povoação da Corunha e que hoje tem seis mil lojas em 86 países, num total de 120 mil empregados – seis mil em Portugal – e de oito marcas que o ano passado responderam por uma facturação de 15.946 milhões de euros – o que se traduziu num aumento dos lucros em 22%, para 2.361 milhões de euros. Dois terços foram assegurados pela Zara, sendo que Espanha vale 20% das vendas totais do grupo.

O trabalho de formiga de Amancio Ortega – que ainda bem jovem trabalhou em lojas de pronto-a-vestir – iniciou-se quando abriu a primeira loja e onde começou a testar a receita. Perguntava sempre ao empregado: o que vendeste, o que te pediram? E em função do procurado, respondia com produto. Os clientes gostaram e os resultados cresceram! Hoje tem oito insígnias e é só o maior conglomerado têxtil a nível mundial.

Para ler a entrevista na íntegra, consulte a edição de Junho de 2013 da revista Marketeer.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...