Desta editora só saem edições limitadas

O Benefício acredita que nem sempre é boa ideia optar por produções em grande escala. Existem produtos que vivem melhor em edições limitadas, personalizadas, ecológicas e socialmente positivas. É por isso que desta startup, que garante funcionar como uma editora, saem apenas fornadas de 100 unidades, independentemente do artigo produzido.

O objectivo d’O Benefício é desenvolver produtos de alto valor acrescentando, providenciado pelo carácter relativamente restrito. O primeiro artigo desenvolvido pela startup é uma garrafa de azeite com origem numa herdade do Geopark Naturtejo.

Neste caso, optou-se por um packaging totalmente manufacturado, segundo explica O Benefício em comunicado: “Corte especial, impressão em serigrafia tradicional e manual a duas cores, aplicação de cetim, lacrado e marcado com sinete manualmente, com personalização e marcação de número de série únicos e na hora.”

O azeite, por seu turno, foi produzido com recurso a moinhos de granito e prensas hidráulicas, a partir da primeira pressão a frio e com base numa agricultura biológica.

Sobre o modo como operam, o Benefício avança que se trata de uma “economia de colmeia”, assente num processo estruturado de criação de valor com base na exploração não intensiva do talento. A colmeia é invocada por ser necessária a constante renovação dos produtos, “que no final criarão volume pela diversidade e não pela escala”, conta ainda a startup.

O Benefício avança ainda que a segunda edição limitada já está a ser planeada e que “ninguém sabe o que é, mas vai ser incrível”.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...