InfiniteBooks: escrever, apagar e volta a escrever

Tinha 17 anos quando surgiu a ideia de criar um caderno com inspiração nos quadros brancos que permitem apagar o que neles se escreve. Hoje, os InfiniteBooks de Pedro Lopes estão em mercados de todo o mundo, com vendas através da Amazon.

Texto de Maria João Lima

O investimento do tubarão Tim Vieira, no início do ano, foi o grande gatilho que faltava para fazer disparar a visibilidade do InfiniteBook. Trata-se de uma empresa que surgiu há quatro anos pelas mãos de Pedro Lopes (hoje com 22 anos), que fez nascer um caderno ecofriendly que contribui para a reutilização de materiais, deixando de parte o consumo de papel como material de rascunho.

Para ler o artigo na íntegra consulte a edição de Outubro de 2018 da revista Marketeer.

Recomendar
  • gplus
  • pinterest

Outras notícias