«Não é o dinheiro que incentiva os influenciadores»

Ao contrário do que acontece no B2C, os influenciadores no B2B não procuram gratificação financeira para estarem associados a uma empresa. A estes o que lhes interessa é terem informação, acesso a centros de decisão e tornarem-se, cada vez mais, especialistas em determinados tópicos.

Texto de Maria João Lima

Foto de Nuno Ramos

São 14 os social influencers que estão a trabalhar de forma próxima e organizada com a Siemens. Profissionais que são especialistas em áreas tão diversas como IoT, cibersegurança, blockchain, entre outras. Pessoas que a Siemens identificou como mais-valias para ajudar a mudar a forma como a empresa ainda é vista em determinadas áreas empresariais. E desengane-se se acredita que trabalhar influenciadores B2B é o mesmo que trabalhá-los na vertente B2C. Acompanhe a conversa que a Marketeer teve com Patrick Naumann, Influencer Engagement manager na Siemens, à margem do Web Summit.

Para ler o artigo na íntegra consulte a edição de Novembro de 2018 da revista Marketeer.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...