Felicidade chez BouBou’s

Foi no Príncipe Real, em Lisboa, que nasceu o BouBou’s, um restaurante de casual fine dining com influências portuguesas, asiáticas, sul-americanas e do médio oriente. Mas, na verdade, podia ter sido em qualquer outra parte do mundo não fossem os donos ter-se encantado por Lisboa. E foi quase um acaso que os fez estabelecer raízes na capital portuguesa quando descobriram o espaço onde viriam a fazer nascer o BouBou’s.

Alexis Bourrat nasceu em Lyon, mas tem ascendência portuguesa. Agnes Bourrat nasceu em Budapeste, mas também tem nacionalidade inglesa. Conheceram-se em Londres, cidade onde se apaixonaram não só um pelo outro mas também pelo universo da hotelaria. Em busca de uma vida mais calma decidiram tentar fazer vida em Lisboa. E ainda bem para nós!

Quando se entra no BouBou’s o sentimento que nos invade é de familiaridade. A receber-nos, além do simpático sorriso de Agnes está o cocktail bar onde os convivas podem aguardar pelos seus pares ou passar directamente à mesa. E começam as decisões: ficar pelos lugares de dentro – indicados para quem gosta de assistir àquilo que se passa na cozinha, já que esta é aberta para a sala – ou optar pela esplanada coberta mas com luz natural? Há 64 lugares sentados por onde escolher.

Depois de sentado há que escolher o que degustar. Ou então deixe-se contagiar pelas sugestões da dona da casa. Foi o que fizemos e, depois de perceber se havia algum tipo de intolerância ou algo de que não fossemos apreciadores, começou por nos trazer como entradas ostras – frescas e deliciosas -, lulas crocantes – e a crocância estava toda lá e não apenas no nome -, marshmallow de tapioca – recomendo-lhe que se deixe levar pela experiência surpreendente – e foi gras caseiro (este passei por não ser apreciadora da iguaria, mas quem provou não deixou ficar vestígios…).

O momento sublime chegaria de seguida. E, se seguir o nosso conselho, não mais dirá que a melhor sopa do mundo é a que a sua mãe faz. Não deixe (mesmo!) de pedir a sopa de alcachofra e trufa. Sem medos. Não estarei a exagerar dizendo que foi, seguramente, a melhor sopa que comi na minha vida. E, acredite, venho de uma família onde não falta sopa à refeição e onde fazem belíssimas sopas, cremes e afins. Tive apenas vergonha de pedir para repetir.

Mas adiante que a refeição ainda guardava belas surpresas. Para partilhar, na ementa, sob o nome “go big or go home”, o BouBou’s apresenta pratos para partilhar. É o caso do Lobster festival. Um verdadeiro festival de sabor para os amantes da especialidade. Continuando nos pratos para partilhar aguardava-nos a carne, o “kebab” de cordeiro, pão pita e condimentos orientais, onde cada um dos comensais prepara a combinação a gosto. Um prato que pede que nos demoremos à mesa e nos percamos na conversa.

Não podíamos sair sem um pijaminha de sobremesas, escolhidas, uma vez mais, pela anfitriã. O apetite já não abundava, mas a gula falou mais alto quando nos deparámos com o Paris-Brest com praliné de avelã,  com o cremoso de yuzu + limão com crumble e com o carpaccio de abacaxi com gingerbread e sorvete de framboesa.

Um espaço, sem dúvida, a regressar em dias em que apeteça mimar o palato.

Texto de Maria João Lima

Fotos de Francisco Nogueira

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...