7 Maravilhas quer encontrar os melhores doces de Portugal

Depois de procurar a melhor mesa de Portugal, a iniciativa 7 Maravilhas quer encontrar os doces que mais se destacam nas várias regiões do País. O objectivo da edição deste ano é eleger as sete melhores receitas no campo da doçaria e pastelaria, sendo que o público voltará a ter um papel crucial nesta decisão.

As candidaturas para a 7 Maravilhas Doces de Portugal já arrancaram e todos os interessados em pôr à prova os seus pratos têm até 7 de Março para se inscreverem. Cada candidatura, segundo a organização, pode incluir sete doces, sendo que existem também sete categorias: Doces de Território, Bolo de Pastelaria, Doce de Colher e Doce à Fatia, Biscoitos e Bolos Secos, Doces Festivos, Doces de Fruta e Mel e Doces de Inovação.

Quanto ao processo de votação, existem algumas novidades. Este ano, os candidatos serão votados por cada um dos 18 distritos e duas regiões autónomas, estando previstos 20 programas de daytime em directo (Julho e Agosto). Nesta fase, serão sete os candidatos por distrito, num total de 140 doces. De cada programa da RTP, que volta a ser parceira da iniciativa, sairá um pré-finalista.

Também novidade é a criação de um Grande Júri, responsável por repescar oito candidatos. Seguem-se as duas semi-finais com 28 pré-finalistas (14 cada), transmitidas em horário nobre em galas apresentadas por Catarina Furtado e José Carlos Malato. A final está marcada para 7 de Setembro.

«Neste projecto, olhamos para a doçaria portuguesa com uma perspectiva inovadora. Por um lado, a criação de novos doces, que exploram produtos endógenos e de época. Por outro lado, valorizamos a formação e a especialização em novas profissões associadas à doçaria e pastelaria portuguesa», explica Luis Segadães, presidente das 7 Maravilhas.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...