A estratégia da Costa Nova para se dar a conhecer

Uniformizar a comunicação da marca a nível mundial é um dos propósitos da Costa Nova ao desenvolver uma media box com tudo o que é necessário para se dar a conhecer nos mais variados mercados. A insígnia portuguesa de cerâmica, presente em mais de 50 países, decidiu que estava na hora de disponibilizar num só local todos os conteúdos que possam interessar a distribuidores, agentes, retalhistas, representantes comerciais e imprensa.

A media box contém imagens de lifestyle em alta resolução mas também de produto em fundo branco, além de anúncios de imprensa pré-formatados. Conta também com o plano anual de campanhas, publicações para as redes sociais, press e product releases, trainings, catálogos em formato digital e outras informações que possam ser relevantes sobre a marca.

Em breve, será desenvolvido um projecto semelhante para a Casafina, marca que também faz parte da empresa. Liliana Cachim, head of Marketing, explica à Marketeer como foi este processo.

O que motivou o desenvolvimento de uma media box? Era algo que o mercado exigia?

A presença internacional da marca Costa Nova tem vindo a aumentar substancialmente nos últimos dois anos. A marca está já presente em mais de 50 países, sendo que alguns deles estão bastante consolidados, possuindo a marca bastante notoriedade – dou como exemplos a Coreia do Sul, o Japão, Itália ou mesmo os EUA, onde a Grestel (nossa empresa-mãe) possui uma empresa comercial e de distribuição.

A necessidade de manter o controlo sobre a mensagem – valores, imagem e características distintivas do produto e marca – tornou-se fundamental, sobretudo nestes países onde há muita necessidade de comunicar. A criação da media box surge, então, no seguimento de uma reflexão estratégica sobre a marca e a sua presença internacional e inserida no nosso plano de Marketing.

Em termos práticos… Criar uma ferramenta que facilitasse a comunicação com os distribuidores, representantes e imprensa nacional e internacional, era fundamental. A empresa mantém a estrutura de marketing centralizada em Vagos, Aveiro. Isto significa que é esta estrutura que lida com todos os projectos de marketing da empresa, incluindo todos os processos de relação com os mercados. Todos os dias recebemos pedidos de vários mercados – de fotos para variados fins, de posts para as redes sociais, de anúncios para a imprensa… Também recebemos muitos contactos de imprensa… Com a media box respondemos a todos… basta um clique.

Quais são as expectativas em termos de feedback/resultados?

A media box foi recentemente apresentada presencialmente a todos os nossos parceiros internacionais, que a receberam com muito entusiasmo. A apresentação e comunicação desta ferramenta à imprensa estamos a fazer, aqui, em primeira mão.

Temos, obviamente, como principal expectativa a disseminação da marca, das suas colecções e produtos, das campanhas temáticas e de produto… Basicamente, dos seus conteúdos, de uma forma mais concertada com a estratégia central. Falar a uma só voz, eu diria.

Quais foram as linhas orientadoras para este projecto? O que não podia mesmo ficar de fora?

Esta poderosa ferramenta de comunicação foi pensada num projecto de Trade Marketing, mais global, que visa suportar o crescimento da marca e dos mercados. A media box tem vários níveis de acesso, sujeitos a uma password cedida centralmente e com validade definida, um deles específico para agentes, distribuidores e representantes comerciais. Esse patamar de acesso permite a partilha de ficheiros técnicos, de documentos de formação, de vídeos internos, etc… E era isso que não podia mesmo ficar de fora.

Depois, o aspecto mais atractivo da media box, e que tenho a certeza vai agradar a clientes e imprensa, é o espaço dedicado à partilha das nossas fotos de lifestyle em diferentes formatos.

Para quando a media box da Casafina? As motivações são semelhantes?

A box da Casafina está quase quase online, sendo a estrutura base e as motivações as mesmas.

Texto de Filipa Almeida

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Já conhece a nova directora de Recursos Humanos da Essilor?
Automonitor
Renault apostada na eletrificação em 2020