Marcas têm de ser um híbrido entre o humano e o digital

Numa era em que as marcas procuram de forma desenfreada a digitalização de negócios e da comunicação, há que parar para pensar se esse é o caminho, ou se é necessário dar um passo atrás e deixar claro o seu lado humano.

Texto de Maria João Lima

Foto de Paulo Alexandrino

A Humanização das Marcas deu o mote para o mais recente almoço do Fórum de Comunicação organizado pela Marketeer, em antecipação da próxima conferência marcada para 23 de Outubro. Os participantes foram convidados a reflectir sobre o caminho das marcas que representam no binómio digital/humano.

Presentes estiveram Cristina Tavares (Fidelidade), Cristina Viegas (RTP), Filipa Remígio (Artsana), Francisco Viana (CGD), Inês Veloso (Randstad), José Veríssimo (ISEG), Marco Nanita (Delta), Miguel Salema Garção (CTT), Nelson Teodoro (Novabase), Nuno Pinto de Magalhães (Sociedade Central de Cervejas), Rodrigo Esteves (Liberty) e Rui Rijo Ferreira (Jaba Recordati).

Para ler o artigo na íntegra consulte a edição de Setembro de 2018 da revista Marketeer.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Fidelidade estabelece parceria com China Reinsurance
Automonitor
Emissões: Afinal há motores Diesel tão limpos quanto os elétricos