Novos horizontes no e-commerce português

A Fnac quis aumentar a sua oferta; a Worten introduzir novas categorias de produto; e o KuantoKusta, posicionar-se como intermediário do processo de compra e venda. As três marcas apostaram na criação de marketplaces, espaços online que estão a ganhar relevância e têm um maior peso no volume de negócios destes três players.

Texto de Rafael Paiva Reis

O e-commerce em Portugal, apesar de a um ritmo mais lento que noutros países europeus, tem ganho mais expressão Valendo já 75 mil milhões de euros (dados da ACEPI), e com potencial para valorizar ainda mais, várias marcas têm vindo a apostar na amplitude da compra, com a introdução de marketplaces no seu negócio digital.

Para ler o artigo na íntegra consulte a edição de Abril de 2019 da revista Marketeer.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
CGD tem uma nova directora Central de Recursos Humanos
Automonitor
Novo Renault Zoe agora com 390 km de autonomia