Qual o impacto do marketing na economia circular?

Por Rafael Cerveira Pinto, managing partner da Squadra

O aumento estimado da população mundial, o crescimento da procura, a escassez de recursos naturais e a volatilidade dos preços das matérias-primas faz com que seja cada vez mais necessário que as sociedades avancem para um paradigma mais sustentável e uma economia mais “verde” que assegure o desenvolvimento económico, melhore as condições de vida e regenere os recursos naturais.

A economia circular é essencial na estratégia de sustentabilidade e é um factor chave para melhorar a competitividade e inovação da economia, aumentando a produtividade das organizações e criando novos empregos, produtos e serviços.

Para além disso, tem como principais benefícios promover a eco-inovação, criar novas oportunidades e modelos de negócio, manter os produtos, materiais e recursos na economia por um maior período de tempo, reduzir a dependência dos combustíveis fósseis, minimizar a produção de resíduos conservando o capital natural, diminuir as emissões de carbono e combater as alterações climáticas.

Apesar dos seus benefícios, a economia circular é um sistema altamente complexo e, como tal, para haver mudança, será necessária uma abordagem holística e o apoio de disciplinas como o Marketing, Operações, Finanças e Recursos Humanos. Desta forma, o departamento de marketing de uma organização deve realçar a importância da economia circular e aumentar a consciencialização sobre as suas iniciativas sustentáveis, destacando os benefícios mútuos em tornar a empresa circular, para aumentar a procura dos seus produtos e serviços.

De facto, os marketeers têm um papel essencial na criação de procura e reconhecimento e, como tal, precisam de estar presentes na estratégia rumo à economia circular. Estes podem encontrar formas inovadoras de tornar as soluções circulares mais atraentes, reduzir os preços deste tipo de produtos para levar à compra, bem como incentivar os clientes a devolver produtos usados para serem reutilizados. Assim, é preciso marketeers criativos para diminuir a resistência das pessoas e tirá-las da sua zona de conforto, mostrando os benefícios da economia circular e realçando o seu potencial financeiro, social e ambiental.

Por conseguinte, os marketeers devem enfatizar o valor tangível e intangível da economia circular, como a redução de custos e satisfação moral, e alinhar os benefícios ambientais ao próprio interesse do cliente para aumentar as vendas e o consumo. Assim, os consumidores com maior preocupação ambiental podem ser influenciados por este tipo de informações e aqueles com menores preocupações ambientais também serão afectados pela forma como este tipo de compras os fará sentir.

Por fim, tendo em conta que os modelos de negócio circulares são construídos com base na confiança, é essencial que os clientes confiem na qualidade dos produtos “remanufacturados”, algo que demora tempo e esforço. Como tal, os marketeers devem utilizar sistemas de garantia e mostrar aos clientes os verdadeiros benefícios dos produtos, de forma a acelerar e facilitar este processo. Adicionalmente, é essencial que estes identifiquem o mercado-alvo certo, para direccionarem eficazmente as campanhas de marketing. Os Millennials, por exemplo, são ambientalmente conscientes e estão mais abertos a negócios alternativos, como a sharing economy.

Em suma, as empresas que mostrarem transparência, sensibilidade para o ambiente em mudança e aplicarem técnicas de marketing eficazes poderão aproveitar as grandes oportunidades da economia circular.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...